Menu

COUVE-FLOR

COUVE-FLOR, UMA FLOR NA SUA ALIMENTAÇÃO

A coue-flor, Brassica oleracea var. botrytis, pertece a uma das maiores famílias das espécies hortícolas: as Brássicas, (repolho, couve-comum, mostarda, brócolos, couve-de-bruxelas, couve-chinesa, couve-rábano, nabo, agrião d'agua, rabanete, rábano e rúcula). Originária da Costa do Mediterrâneo, espalhou-se pela Europa, no início do século XVII. No Brasil sua introdução se deu com a vinda dos primeiros imigrantes italianos, Pode ser produzida durante todo o ano, em praticamente todo o terrirritório nacional, graças aos programas de melhoramento, genético, que produziram cultivares e híbridos de alta qualidade, não só adaptados às condições normais de cultivo, mas principalmente à alta temperatura e às condições tropicais.

As maiores regiões produtoras são: Ibiúna, Porto Feliz, Itatiba, Jarinú e Sorocaba em São Paulo; Carandaí e Barbacena em Minas Gerais; São José dos Pinhais, Colombo e Londrina no Paraná; Caxias do Sul no Rio Grande do Sul, Teresópolis no Rio de Janeiro, Venda Nova dos Imigrantes no Espirito Santo e Jaguaquara na Bahia.

Pela variação, sazonal das entradas e preços na CEAGESP, observa-se que os meses de maio a outubro apresentam a maior oferta, e os maiores preços ocorrem nos meses de janeiro a abril. A couve-flor é uma hortaliça que pode ser, consumida de várias formas, compondo pratos quentes e frios, e suas características nutracêuticas incentivam o seu consumo. A couve-flor contém elevados teores de vitamina A, beta-caroteno, cálcio, fósforo, proteínas e vitamina C, superando os teores de vitamina C dos citros.

A adoção das normas de classificação aprovadas pela Câmara Setorial de Hortaliças, Cebola e Alho, órgão vinculado à Secretaria da Agricultura e Abastecimento, dentro do Programa Paulista para Melhoria dos Padrões Comerciais e Embalagens de Hortigranjeiros, garantem a transparência e a confiabilidade na comercialização, sem as quais é impossível a adoção de métodos modernos de comerciatização e a destinação de cada lote para o seu melhor nicho de mercado. A necessidade nacional de uma linguagem de qualidade única e mensurável transformou, por solicitação dos produtores dos outros estados brasileiros, o Programa Paulista em Programa Brasileiro, que conta com o apoio da Sociedade de Olericultura do Brasil, que congrega especialistas de todo o Brasil.

Com a adoção da classificação, a couve-flor entra no século XXI preparada para competir.

Sucesso, na couve-flor.